.

Okay, vamos lá. Já que é pra gente começar a se entender acho que é melhor começar pelo começo não é mesmo? Para tentar saber como eu cheguei aqui. O que eu fiz para estar exatamente onde estou.

A gente acha que crianças nunca vão lembrar de nada mas a gente sempre lembra de pequenos flashes. E muitas vezes pequenas cenas podem ficar marcadas na nossa mente pelo resto da vida. Como quando meus pais brigavam feio e minha mãe jogava tudo que via pela frente no meu pai. O motivo da briga? Não faço a menor ideia. Na verdade acho que nenhum dos 3 sabiam o que estavam fazendo naquela época. Eu, a criança e meus dois pais que também pareciam adolescentes tentando viver de alguma maneira, ou pelo menos sobreviver ao caos do casamento.

Lembro também de pequenos surtos em casa e é engraçado como isso acaba virando rotineiro ou normal na cabeça de alguém porque depois de um tempo você não se preocupa mais com certas coisas. Até que você começa a entender, começa a ver certas coisas que não via antes, ou não prestava atenção porque simplesmente brincar era mais importante. E aí escuta que o motivo das brigas são outras pessoas. Pessoas que nem fazem parte da sua vida mas que você sabe que estão interferindo no seu dia a dia. Traições, mais drama e você ali no meio sem saber o que fazer. Sem saber como reagir quando sua mãe toma um monte de remédios e manda você ligar para o seu pai pra dizer que ela vai morrer. Isso é com certeza traumático.

E eu nunca soube lidar com o fato de que a minha família nunca fazia nada legal. Nós não comemorávamos muita coisa juntos. Não saíamos e quando esse grande evento acontecia tinha mais briga. Eu não me lembro de um dia sequer em que as pessoas não foram egoístas o bastante para colocar a felicidade dos outros acima das delas para tornar o dia especial para alguém. Mas é claro que isso é a minha perspectiva. Eu também convivia com amigos que não viajavam por falta de dinheiro e tudo bem também. Mas a grande questão aqui é que planos em família não eram prioridade.

Eu não tenho grandes fotos em família e talvez por essas pequenas coisinhas eu não me preocupe tanto com “somos uma família, deveríamos nos aproveitar enquanto ainda estamos vivos”. As vezes isso me parece tão falso, porque eu simplesmente aprendi a não me sentir assim. A não esperar muito das pessoas, a não querer que minha família fosse igual porque ela não era. Cada um sempre teve seu próprio mundinho e ficou na sua própria bolha enquanto tentávamos conviver uns com os outros. E isso permanece até hoje em alguns de nós. Não aprendemos a ser família e isso as vezes me deixa completamente arrasada.

Lembro de ir visitar a minha avó e por mais que o meu temperamento fosse difícil eu ouvia coisas do tipo “você não é a neta preferida então para de pedir as coisas”. Eu ainda não entendi a minha ligação com os meus parentes porque eles parecem apenas alguns parentes distantes.

Agora que eu convivo com outro tipo de família isso complica ainda mais a minha cabeça porque é assim que as pessoas tem que se tratar. Quando você abdica da sua vida sozinha para conviver com outras pessoas e construir uma família é assim que você deve se portar. Não é negar tudo e qualquer coisa e fazer com que seus filhos sejam emocionalmente instáveis pro resto da vida falando esse tipo de coisa ou deixando com que eles passem por certas coisas para aprender que a vida pode sim ser cruel.

Obviamente apenas eu tenho responsabilidade sobre as minhas escolhas mas onde meus pais estavam quando eu estava sendo assediada e manipulada por um cara de mais de 30 anos pela internet? E onde eles estavam quando eu estava tão farta de mim mesma que toda semana mudava a cor ou o corte do cabelo?

Onde todo mundo estava quando eu estava dando pra vários caras diferentes com o intuito de sentir alguma coisa, qualquer coisa que fosse?

E onde eu estava quando deixei me levar pelo primeiro cara que apareceu querendo cuidar de mim e me amar de uma forma honesta e sincera pra no fim se provar que era só uma forma de me prender a ele da pior maneira possível?

Quando eu engravidei eu só conseguia pensar “que merda você está fazendo da sua vida?” e ao mesmo tempo pensava comigo mesma “é, ele ganhou, agora ele me tem pra sempre”. Eu até achei que fosse me acostumar e ser feliz com ele mas esse tempo todo eu estava em busca de algo que ninguém poderia me dar.

Que quem deveria ter me dado eram meus pais lá atrás. Eu vivia em busca disso e por isso fiz coisas horríveis das quais eu me arrependo porque não faz parte de mim. Trair não faz parte de mim, machucar os outros não faz parte de mim. Manipular e fingir não faz parte de mim.

Eu só queria poder voltar no tempo e dizer pra todo mundo que eu magoei que aquela não era eu. Que até hoje eu não sei dizer bem quem eu sou mas que eu estou tentando ser alguém bem melhor.

E que eu ainda tenho muito ressentimento e mágoa de tudo que aconteceu comigo. Talvez isso nunca passe, talvez eu nunca consiga perdoar essas pessoas. Talvez elas nem queiram o meu perdão.

A única coisa que eu preciso é me libertar um pouco disso tudo que eu carrego dentro de mim e que me deixa sufocada.

Espero que passe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s